Ano novo, novos objetivos e sentimentos renovados.

Ano novo, novos objetivos e sentimentos renovados.

Esses dias que antecedem a virada do ano e mesmo nos primeiros dias já no novo ano do calendário vigente (para alguns estudiosos do tema o ano novo se inicia em 20 de março e não no dia 01 de janeiro), é comum que tenhamos algum tempo para alguma reflexão a respeito de o que esperar do novo ciclo.

Nesses momentos é bastante comum que deixemos de lado o que houve e pensemos naquela famosa lista de objetivos e desejos. Nesse momento somos, em certa medida, tomados por uma tonalidade afetiva de esperança, algo que podemos notar em outras pessoas à nossa volta.

Essa esperança a que me refiro envolve muitos aspectos comuns, e, porque não dizer e considerar, o momento pelo qual passamos em termos de sociedade, sem muito estender ao menos essa da qual fazemos parte, a população brasileira.

Gostando ou não, temos um novo presidente, novos governadores e outros muitos outros cidadãos eleitos através do voto e que, ao iniciarem seus mandatos, interferirão em nossas vidas cotidianas e, nesse momento são também parte dessa esperança renovada de que um novo ciclo se abra e que este seja melhor que os últimos, especialmente para aqueles cuja esperança pode significar simplesmente um emprego ou de modo mais objetivo um “ganha-pão”.

Objetivos e metas para o novo ano.

Voltemos ao objetivo, isto é, renovação de sentimentos e objetivos para o novo ano.

Possivelmente, se você pensou em metas e objetivos para o ano que está encerrando ou já se encerrou e não conseguiu chegar a termo, você pode ter sido tomado por algum ou alguns daqueles sentimentos dos quais mencionei em texto anterior, e até não querer pensar ou refletir a respeito, e nesse caso pode ser que você crie a sua lista de metas e desejos e novamente ela fique esquecida junto as anteriores.

Não creio que seja este o seu objetivo, digo, que você crie a sua lista apenas para frustrar-se.

Se o objetivo é o seu bem-estar e não a frustração, convido-o a refletir um pouco a esse respeito.

Antes de pensar em definir qualquer que seja o seu objetivo a sua meta de ano novo, quero te oferecer algumas sugestões que podem ser úteis.

  1. Tenha sempre em mente o seu bem-estar;

Se o seu objetivo é o seu bem-estar de nada adiantará colocar uma meta que seja pouco possível de realizar. Por exemplo, atualmente não pratica nenhum tipo de exercícios. Definir que ao final do ano deseja estar apto a correr e vencer uma maratona, me parece pouco possível de se realizar.

  1. Tome como referência o que é adequado a você;

Na situação anterior, correr e vencer uma maratona, é no mínimo inadequado, então a pergunta é: -O que é adequado? Pode ser que participar, sim seja adequado, mas vencer ainda seja inadequado e nesse caso tente ajustar o objetivo à sua realidade.

Ainda, lembre-se do seu bem-estar e que este objetivo precisa estar no mínimo adequado à sua realidade.

  1. Inclua as várias áreas da sua vida;

Tente levar em consideração o todo, por exemplo, vida profissional, vida social, vida familiar, desenvolvimento pessoal, lazer, vida afetiva, saúde, espiritual, finanças; enfim tente tratar-se modo integral, ao menos nesse momento o foco deve estar em você.

Alguém que se dedique a participar e correr uma maratona dedica-se por horas a fio treinando seu dia-a-dia, como, aliás é para qualquer outro profissional, então ao decidir-se por um objetivo pergunte-se como ficam as outras áreas da sua vida.

Para cada área da sua vida que você incluiu verifique se este objetivo é adequado se é ecológico com o seu sistema.

Pode ser que nesse momento você descubra que há partes de você que não quer tal objetivo e, portanto, precise negociar consigo mesmo pesando os prós e contras e chegar ao meio termo de modo a saber com clareza o que ganha e o que perde tendo-o realizado.

  1. Crie ou utilize algo como “Como seria se? Observe os seus sentimentos.

É possível encontrar uma série de perguntas que podem auxiliar a perceber os efeitos da realização do seu objetivo e esta que sugeri é tão somente uma possibilidade e sua aplicação é bastante simples e no exemplo escolhido seria algo como:

Como seria se eu corresse e vencesse a maratona? Anote tudo o que vier como resposta.

É nesse momento que surgirão sentimentos e dúvidas que ajudarão a pôr os pés no chão. Para quem sequer faz uma caminhada leve correr a maratona beira o impossível e muito provavelmente se tornará mais um objetivo inalcançado.

Esses sentimentos podem e devem ajudar e permitir que você se compreenda e possa rever os objetivos no intuito de adequar-se.

  1. É possível realizar?

Se você acredita que sua meta é realizável. Ótimo! Agora que já analisou os prós e contras, já sabe que é possível realizar, date o seu objetivo e o redefina em objetivos menores, por exemplo, se a data de realização é para dezembro, redefina por etapas mensais e até semanais.

Se chegou à conclusão de que não é possível, verifique o que é possível e realizável dentro do que é adequado e ajuste o objetivo.

Essa fase com objetivo pormenorizado em fases mensais ou semanais facilitarão a perceber furos e possibilitará a redefinição de etapas ao mesmo tempo em que o energizará ao perceber que o objetivo principal está se tornando real.

É possível que ao longo do caminho se perceba que não é realizável e que tal objetivo está, portanto, inadequado. Tudo bem! O que é possível e realizável?

Pode ser que, considerando a situação escolhida, a simples participação na maratona seja o teu adequado e realizável. Então, siga em frente!

Antes de finalizar, pode ser bastante útil para você revisitar os objetivos que você já alcançou ao longo da sua vida e notar os seus sentimentos positivos ao realizar a termo cada um deles e, ao mesmo tempo notar de que modo pode utilizar os recursos para os seus novos objetivos e ainda, lembrar-se de que você não está só e pode buscar ajuda especializada.

Por fim, inclua em um dos seus objetivos investir em você e em seu bem-estar.

Boas reflexões e sucesso!

Psicólogo Altair Oliveira

Graduado pela universidade Paulista - UNIP, é pós-graduado especialista em Psicologia Clínica, pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa casa de Misericórdia de São Paulo, com atuação em consultório particular voltado ao tratamento e acompanhamentos psicológicos e psicoterapia, acompanhamento psico-oncológico, depressão, síndrome do pânico e outras demandas psicológicas.

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Chris Ivory Jersey 
×
Olá,
Posso ajudar com alguma informação?